sábado, janeiro 23, 2010

100 anos da "Grande Inondation"

Há 100 anos, a cidade de Paris sofreu uma das maiores inundações de sua história. Em 1910, o rio Sena transbordou, cobrindo as avenidas parisienses de água e lama e deixando milhares de famílias sem luz durante meses. Segundo especialistas da área, isso pode estar prestes a se repetir.

Segundo estudos do Ministério da Ecologia e do Desenvolvimento Sustentável francês o prejuízo, à época, em valores atualizados, foi de 1,5 bilhão de euros. Hoje, seria superior a 15 bilhões.

A preocupação com a possibilidade de uma nova inundação existe e se reflete em um cuidadoso planejamento de redução de danos. Grandes museus, como o Louvre e o Quai Branly, levariam suas obras de arte à cidade de Cergy-Pontoise.

Apesar da destruição e dos problemas causados, é interessante perceber uma coisa: Paris literalmente é charmosa até debaixo d'água.







Para ver mais fotos, clique aqui!

segunda-feira, janeiro 18, 2010

Super curso... super férias...

No início desse ano, a Aliança Francesa de Toulouse disponibilizou 3 bolsas de estudo para brasileiros devido às comemorações do ano da França no Brasil.
E aí o senhor Todo Poderoso olhou para baixo e falou no ouvido da prof. Gisele: “indica aquela guria envergonhada ali...acho que ela vai...” =)
Então escrevi uma lettre de motivation e com ajuda do pessoal da Aliança daqui (sim né, porque os erros precisam ser corrigidos!!) eu fui umas das contempladas!!

Fiquei ultra feliz já que eu trabalho com desenvolvimento de produtos de moda e essa oportunidade de viajar e conhecer a tão sonhada França foi uma meta que já se tornou realidade!
Gente... é muito fácil morar lá! Foi minha primeira viagem para o exterior e foi tudo tranqüilo! Passei todo o mês de outubro em Toulouse.

Já faz 2 anos e meio que “estudo” francês e foi ótimo chegar lá e entender o que eles falam, ou o sentido das coisas... porque eu sou tri apavorada e saindo do aeroporto do Rio pensei: “quero ver quando chegar lá... vou ter que partir para o inglês... vai dar branco total!!” E nada disso... entrei no clima e quase voltei francesa hahahahaha.

Em Toulouse, fiquei na casa de uma família cadastrada da escola. Um luxo!! Todo dia, às 20h, a dona da casa servia a janta... entrada, prato principal, queijos e sobremesa!!! E foi muiiiiiiiiiiiiiito bom! Na casa estavam mais uma senhora do Hawaii e um senhor de Montana (EUA) que foram estudar também por um mês na França. A estadia com eles foi divertidíssima!

As aulas eram somente no período da manhã, as turmas são de 16 alunos e tem gente de todo canto! À tarde, o meu espírito de turista encarnava e eu saía sem rumo para conhecer a cidade que é maravilhosa! Nos finais de semana que fiquei lá, fui conhecer Biarritz, Saint Jean de Luz, Carcassone, Albi e Paris. Não tenho comentários para descrever o que é estar lá, o comportamento, as crianças, os monumentos, os detalhes que estudei em história e que nem esperava ver ou lembrar!

Foi perfeito!

Beijos p/ todos,
Bruna



Rio Garonne - Toulouse


Feira em uma das avenidas de Toulouse


Colegas da AF no centro de Toulouse - Capitole


Estação Espacial de Toulouse


Família: americanos à esquerda e franceses à direita


Biarritz


Biarritz


Carcassone, cidade medieval


Dentro do castelo de Carcassone


Albi


Albi


E paris =)

terça-feira, janeiro 12, 2010

Nouvelle Vague

A Nouvelle Vague foi um dos mais importantes movimentos artísticos do cinema europeu. Para muitos, Journal d'un scélérat (1950), de Éric Rohmer, foi o primeiro filme do “estilo”. Para outros, Le Beau Serge (1958), de Vlaude Chabrol é o precursor.

Os críticos de cinema tiveram papel fundamental para a Nouvelle Vague. Seus principais cineastas, gente como Jean-Luc Godard, Eric Rohmer e Claude Chabrol, escreviam para a revista Cahiers du Cinéma. Mas afinal, o que caracteriza esse movimento?

Em primeiro lugar, o rompimento com o cinema comercial com vistas a produções mais autorais. O roteirista ganha importância, em busca de narrativas sem compromissos com a linearidade. O amoralismo tem lugar tanto nos diálogos quanto na montagem, levando às telas um pouco do temperamento daquela geração.

No Brasil, o Cinema Novo, que revelou nomes como Glauber Rocha e Cacá Diegues, foi fortemente influenciado pela Nouvelle Vague e pelo Neo-realismo italiano.

Para entender um pouco mais, confira abaixo uma breve entrevista com Éric Rohmer e trechos de seu filme Ma Nuit Chez Maud (1969). Rohmer faleceu ontem, 11 de janeiro, aos 89 anos.


video